BLOG LOCAL: ALAGOINHAS, BAHIA BRASIL.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Simples dicas montagem transverter (conversor) RF.

Dicas e Informações aos iniciantes que querem montar transverter interno (dentro) no 148 GTL ou externo (fora) com gabinete (caixa). Externo: O transverter vai transmitir o que o seu transceptor é, a tonalidade de áudio, grave ou agudo que o seu transceptor tem, se ele se desloca (vareia) de frequência tudo vai ser convertido ao transverter. Por isso que para mim com experiência própria para adaptar transverter externo ou interno o melhor rádio é o Cobra 148 GTL, mas isso não quer dizer que os outros rádios não possa ser adaptado um transverter externo ou interno, pode sim, talvez tenha que fazer alguns ajuste na entrada de RF do transverter, pois alguns rádios tem uma potencia RF superior a 12W em SSB, o atenuador de carga do transverter não está fazendo seu papel deixando passar muita RF para o circuito misturador e podendo haver problemas na modulação por excesso de RF, por isso em alguns casos se baixar o volume do mike (microfone) em SSB, a potencia RF tem a cair, melhorando transmissão e modulação na saída do transverter, não aconselho a mexer no transceptor PX (CB), aconselho a fazer melhorias no transverter no atenuador de carga, reduzir a entrada RF para o circuito Mixer (misturador) entrada. Faça ligações curtas, use sempre cabo coaxial em ligações de RF, use cabo blindado em ligações de áudio, prefira fios flexíveis, na entrada de Vcc coloque fio de grosso calibre, 2,5mm ou superior dependendo do consumo da potencia RF, use sempre braçadeiras de nylon (enforca gato) para fixar e arrumar a fiação, use sempre fusível adequado ao consumo, prefira sempre caixa ou gabinete metálico pequeno, bom colocar blindagem no circuito oscilador VFOcoloque bons dissipadores nos transistores Driver, Mosfets PA, sempre use um ou dois cooler (ventoinha), isso vai fazer seu transverter render mais e trabalhar temperatura normal, a fonte de alimentação de 13,8 Vcc tem que ser estabilizada e bem filtrada com amperagem superior ao consumo dos equipamentos. Interno: No Cobra 148 GTL, melhor retirar o sinal de 27 Mhz através de um capacitor cerâmico NP0 (0) entre 10pF a 68pF solde na trilha da base (B) TR38 Driver, onde o sinal limpo já é amplificado por TR39, poderíamos retirar da base de TR39, mas em testes o sinal ficou melhor em TR38, o valor do capacitor influencia no circuito Driver e na saída final RF 27 MHz do transceptor, por isso faça testes de potencia RF adicionando e retirando o capacitor, escolha o melhor valor para que o sinal de 27 Mhz passe pelo capacitor sem interferir tanto no circuito Driver. Dependendo da potencia use um relé 10 amperes ou mais para +Vcc, e retire a alimentação direto do conector fixo J 403 para seus contatos, se quiser usar relé dois contatos, a bobina do relé ligue na chave on off S 402 saída que vai ao pino 2 IC4 MB 3756, assim não corremos o risco de L401, L402 fique sobrecarregada e não suporte a corrente de consumo do rádio e transverter, no final da montagem dependendo da potencia RF 80W a 100W devemos substituir o (rabicho) fio de ligação Vcc original do transceptor com fusível, troque o fusível por outro de maior amperagem, troque o fio de ligação Vcc (rabicho) por fio de boa qualidade flexível 2,5mm ou 4mm, vermelho e preto mais curto o necessário, faça a adaptação dos portas fusíveis, se preferir colocar fusível no fio preto negativo. Mas antes de fazer essas modificações no fio de ligação (rabicho), observe se o transverter está funcionando corretamente, se tiver, ao modular por 2 ou 5 minutos, observe se o (rabicho) está aquecendo, caso esteja proceda a substituição. Fixe bem com parafusos a placa, os dissipadores encoste e parafuse na carcaça do rádio servindo como dissipador, mas requer adaptar um bom dissipador no fundo do rádio e dependendo da potencia RF um ou dois cooler (ventoinha). Proceda como já escrito sobre ás ligações e fixação dos fios, faça testes para melhorias em ligações de indutores bobinas LC, elas tem que regular com núcleo abaixo do meio uma ou duas voltas, coloque capacitores entre 10 nF (103) a 100nF (104) de positivo para negativo de desacoplamento na entrada +Vcc dos indutores bobinas o mais próximo a elas, façam testes em substituição dos transistores para melhorias de recepção e transmissão, ao confeccionar indutores bifilar ou trifilar, observe bem o início e fim dos fios, um pontinho preto indica inicio ou fim, se ligar errado a recepção fica ruim ou fraca, em TX RF fica pouca fraca, indutores (bobinas) ajustáveis melhor usar fôrmas TOKO 10mm blindada, faça os enrolamentos espiras (voltas) sempre mesmo sentido. Nos circuitos de transmissão Driver e PA podemos usar os Mosfets, muito melhor mais barato e mais fáceis de achar que os transistores bipolares muitos são falsificados. Os circuitos push pull são melhores para elevar a potencia em RF final. Acrescente nas linhas de +Vcc de TX e RX diodo led vermelho e verde se preferir coloque um led vermelho na saída de RF ANT, esquema CT 840. Em circuitos onde precisamos de estabilidade como: Osciladores RF, VFO, VXO, VCO, PLL, colocamos diodo zener regulador (estabilizador) tensão Vcc ou CIs reguladores da linha 78XX regula (estabiliza) tensão positivo +Vcc, 79XX regula (estabiliza) tensão negativo _Vcc, os CIs reguladores são mais eficientes, sempre coloque (solde) capacitores de cerâmica de 100nF (104) em cima ou mais próximos dos seus terminais de entrada e saída para negativo ou positivo, os eletrolíticos pode fazer parte junto com os cerâmicos. Os indutores XRF ou choque de RF, podemos confeccionar enrolando várias espiras (voltas) de um determinado fio e resistor de alto valor 470k e Watt, ou enrolar algumas espiras (voltas) de um determinado fio em um núcleo toroidal encontrado em reator eletrônico lâmpada (econômica) compacta fluorescente ou ferrita externo circular da bobina TOKO 10mm, ou retirados de TVs ou sucatas, podemos comprar pronto pelo valor de indutância em microHenry  (uH), ou milliHenry (mH), quando escrevo determinado fio é o calibre (bitola) do fio, é porque depende onde vai ser usado o XRF, se colocado na linha de +Vcc de um circuito simples com consumo pequeno, como pré RF TX, oscilador, pré antena, pré amplificador microfone, podemos colocar fio fino, de 29 a 40 AWG, em circuitos médio consumo como pré Driver, Driver, podemos colocar fio 28 a 25 AWG, em circuitos de alto consumo como: Entrada geral de tensão do transceptor, tenção do PA colocamos fio mais grosso de 24 a 20 AWG, consumo é o quanto vai circular corrente em determinado circuito. Pessoal aqui no blog existe centenas de esquemas de transverter para algumas frequências, caso você queira mudar um projeto para operar em outra freqüência, basta modificar os circuitos sintonizados LC, indutores (bobinas) e capacitores, cristal, e em frequências elevada os transistores. Não esqueça de blindar a PCI principalmente se ela for ficar sobre (cima) ás bobinas (indutores) L45, L46, L47, L48. Eu prefiro transverter interno, é muito melhor, seu rádio fica original, só uma unica chave na parte de traz, o Driver e PA ficam inoperante sem tensão, alem de tudo você tem um rádio com 3 bandas, 40, 11, 10 metros, se chucrutado ( modificado). Nas minhas postagens sobre transverter aqui no blog, sempre desenho versões interno (dentro) Cobra 148 GTL e suas respectivas ligações com relé duplo dois contatos e simples mini chave, ou só mini chave on off duplo contato (6 pinos) no fundo rádio. Eu prefiro só a mini chave dupla, ocupa menos espaço fica próximo a ligação antena. 
Façam comentários se tem alguma dúvida, ou discorda de algo que escrevi.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Novos blogs.

Pessoal todos os meses publicarei esta divulgação:
Sendo eu amante da eletrônica, tenho o prazer em procurar ajudar aos iniciantes e montadores de projetos eletrônicos, gosto e desde criança sou apaixonado por RF "transceptores" por este motivo tendo hoje a facilidade da internet "WEB" para levar um pouco do que aprendi e ainda estou aprendendo pois nunca sabemos demais, e cada dia procuro aprender uma nova descoberta. Pois é tendo este meio de comunicação eu criei o primeiro blog: Projetos e transceptores, em Maio de 2012, com a finalidade de mostrar, incentivar, e divulgar meus esquemas e projetos simples, depois tomei outra direção em desenhar diversos projetos e esquemas postado aqui na WEB ou em antigas revistas, sempre procurando modificar ou diferenciar os esquemas para incentivo aos iniciantes e montadores, hoje o blog: Projetos e transceptores. Tem pouco mais de 5 anos, com 43 seguidores, e tem mais de 280.000 acessos.
Em abril 2015, criei um novo blog:esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.br . Esquemas projetos eletrônicos. Este com a finalidade de divulgar os esquemas e xerox que possuo, ou revistas encontradas na WEB sempre na área de eletrônica de um jeito diversos, para mostrar abordar ou comentar algum assunto do esquema publicado para incentivar e ajudar os iniciantes.
Este mês Agosto de 2017, criei mais um blog:sucataseletronicasdoacoes.blogspot.com.br/ Sucatas eletrônicas doações. Criado com a finalidade de aproveitar o que é descartado por cidadãos, empresas, oficinas, prefeituras, etc. como "Lixo eletrônico", eu como bom garimpeiro quero divulgar o  que em quase todas postagens comento aqui no blog sobre componentes aproveitados de sucatas, todos os montadores já fez ou vai fazer uma montagem com algum componente de uma boa sucata, isso é inevitável, eu já faço isso desde criança quando comecei na eletrônica pois não tinha dinheiro para comprar os componentes, eu aprendi a selecionar, limpar, testar, manusear, lubrificar, e guardar "armazenar" bons componentes que servirão para minha próxima montagem eletrônica sem gastar muito dinheiro, e sem ter que ficar procurando por componente de loja em loja e não achar "mosca branca", já divulguei aqui no blog alguns transceptores em AM montado por mim com 98% de componentes e caixa de sucatas, tenho o maior orgulho. A criação deste novo blog também  é para agradecer aos meu amigos, colaboradores, que me ajudaram e ajudam doando todo tipo de sucatas eletrônicas. Muito obrigado aos seguidores e a todos que acessam os blogs, e você que gosta de eletrônica e faz montagens click nos links acima para ver mais sobre esse mundo fantástico que é o futuro do mundo. Obrigado.
Waldir Cardoso.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Transverter Star Flare 14Mhz 144Mhz CQ Elettronica.

Este mês mesmo sem tempo mas tenho que trazer algo novo aos nossos seguidores e amigos que acessam o nosso blog, é por amor ao hobby que faço este trabalho para incentivar aos iniciantes e montadores. Pessoal o esquema do transverter Star Flare “Estrela do alargamento” de 14 Mhz para ser acoplado em RTX de 144 Mhz, autoria de IW0CKD Roberto Galletti. publicado na revista CQ Elettronica de 1988-06, http://www.introni.it/pdf/CQ%20elettronica%201988_06.pdf Está bem explicado só a parte do receptor, pena que ás explicações está em italiano, mas vocês podem copiar da revista e colar no Google tradutor. Bem olhando o esquema vejamos que tem algumas pequenas modificações que poderemos fazer, se bem que logo de primeira na entrada de filtro BPF antena RX tem um “gato” um erro em L2 que está com seu terminal ligado a JAF3 que alimenta com tensão +Vcc DV2 regulada por R8 entre +1 Vcc a +13,5 Vcc em banda alta, do jeito que está no esquema da revista, a porta “G2” de Q1 vai queimar assim que S1 por acionado para a posição “banda alta”, que também está ligado diretamente a JAF1 um choque de RF tipo VK200, quando deveria ter um resistor de no mínimo 39k, mesmo com R7, R8, R9, R10, ligados em paralelos tendo uma resistência total de 2k5 a corrente continua alta para alimentar os diodos varicap, DV1, DV2, DV3, DV4, eu aconselharia a colocar um resistor de 47k na linha de + Vcc “banda alta” e testar o quanto iria variar em pF nos varicap, poderemos modificar o circuito que por sinal é muito bom, Ex: Quando os indutores BPF que ressonam na mesma freqüência e esta freqüência sobe ou desce devemos ajustar os indutores na mesma freqüência para que o sinal ou recepção tenha a mesma intensidade de recepção em toda faixa, sim porque isso vale tanto em TX e RX que se desloque muito da freqüência de operação. No esquema temos os diodos varicap que variam de capacidade em pF fazendo o conjunto LC ressonar na mesma freqüência em que se deseja ouvir, muito bom circuito ainda mais para quem quer um transverter com várias freqüências acima e abaixo da original. No esquema original na lista de peças não vão encontrar os valores dos componentes da parte de comutação TX RX, e o transmissor, segundo o autor ele publicaria no próximo número, toda parte de transmissão, mas eu não encontrei em número algum. Cabe ao montador improvisar e testar os componentes que eu coloquei os valores nos esquemas, os transistores podem ser outros que seja até 50 Mhz, o PA final RF, pode ser o já extinto novo 2SC 1969 ou os 2SC 1974, 2SC 1173, ou outros, porem só 2SC 1969 ou outro semelhante dará aproximadamente 10 a 12W RF, os demais citados não passam de 5W de RF, os capacitores nos circuitos de alimentação dos semicondutores ou MOSFET, de desacoplamento ligados em +Vcc a negativo, podem ser de valor alto entre 223, 473, 104, ou 22nF, 47nF, 100nF, de cerâmica ou poliéster. Observem que o oscilador local ou VXO tem um transistor bipolar PNP, o que na época se usava muito PNP e NPN, hoje usamos mais os NPN, principalmente em nossos projetos.
Acabei de publicar a tradução da revista deste transverter: https://esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.br/2017/09/transverter-star-flare-144-14mhz-cq.html 
Esquema original e erro em L2 ligado a JAF3.
Abaixo esquema transverter 14-144Mhz já corrigido o erro em L2.
Abaixo lista dos indutores RX para confeccionar.
Lista de peças, original podemos substituir atualizar com componentes recentes, falta a parte de comutação TX RX e transmissor.
Podemos confeccionar os indutores de TX sintonizados conjunto LC, com fôrma TOKO de 10mm, e fio 33 ou 34 AWG, Em L9, L10, L11= 3+3+3T prim. 2+2T sec. fio 33 AWG, forma TOKO 10mm e até em outras bobinas do receptor podemos usar esta mesma fôrma desde que seja usada em FM. Podemos fazer L12 e L14 = 12T 24AWG em toroide lâmpada compacta fluorescente. L13= 6T 30 AWG TOKO 10mm. em L15= 12T 22AWG 10mm. os choques de RF lê-se no esquema JAF, podemos usar choque de RF prontos de 1uH para os varicaps, já na alimentação +Vcc Rx e TX podemos usar os de TV do tipo redondo de 4 ou 6 mm, ou montar em um resistor de 220k de 1W, enrole 20 espiras de fio 26 ou 27 AWG, sobre o resistor. Os componentes com (*) devem ser testado para melhor desempenho, indutores devem ser ajustados para o máximo de RF e com núcleo interno abaixo do meio uma ou duas voltas.
Os transistores podem ser substituídos por outros com maior potencia.
No esquema abaixo desenhei em TX com um bom filtro BPF para termos o sinal limpo de 14 Mhz, o "D" do BF 981 é sintonizado e ressonando em 14 Mhz, passa o sinal por um capacitor de 4,7pF que novamente é sintonizadoe passa novamente por outro capacitor de 4,7pF, desta forma temos um sinal sintonizado e com pouco harmônicos, desta forma podemos colocar no PA um simples filtro LPF de 3 elementos aproveitando assim maior potencia do Mosfets, se desejar maior potencia de RF coloque em série dois Mosfets com resistores, ligue um resistor na saída "G" de 22R de cada um, e ligue dois resistores 0,22R do "S" para negativo, agora ligue ás duas pontas dos resistores no capacitor de 103 e alimentação de bias, assim a potencia vai subir 2 a 3W RF, façam testes, talvez nem seja necessário colocar os resistores de dias de 22R, isso dependerá do Mosfet usado, o certo é que tem que ter os de negativo para "S" de 0R22, ou 0R47. No esquema abaixo L13 ou T1 poderá ser feito com dois toroides de lâmpadas compacta fluorescente formando um binôculo, passe 11 T voltas primário, 3 T voltas para o secundário 25AWG. L14 é idêntico o núcleo porem será mais dois formando 4 toroides tipo binocular 12 T bifilar 24 AWG.
Em L9=4+4+4T, L10=3+3+3T, L11 3+3+3T prim. 2+2T sec. fio 33 AWG. Fôrma TOKO 10mm. T1= dois núcleos toroidais de lâmpadas compacta fluorescente 
Pessoal nesta versão está com Mosfet no PA RF final, outros poderá ser experimentados
o IRF 510, IRF 520, IRF 630, entre outros que chegue aos 14 Mhz sem problemas.
No esquema abaixo a confecção dos indutores de TX no coletor do exitador driver BD 329 podem seguir os mesmos conceitos da parte final de demais transverter para 40 metros nesta configuração Push Pull, isso nos indutores não sintonizados com LC, só para os de banda larga. Podemos seguir o exemplo de driver e PA do http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2017/04/ararinha-projeto-2-rtx-ssb-25w-40w-rf.html com uma boa potencia de RF.
Nesta versão coloquei os dois Mosfets em configuração Push Pull, teremos assim maior potencia de RF, se vocês quiserem podem colocar mais dois Mosfets em série.
Pessoal desculpe-me, eu estou sem tempo para fazer mais desenhos e modificações, estou correndo contra o tempo para poder publicar ainda hoje dia 31 deste mês, por isso continuarei este projeto mês que vem, assim posso modificar mais como oscilador local, pré seletor de RX e outros circuitos. baixem a revista e  leiam toda matéria, vou publicar no meu outro blog mais sobre este transverter mês que vem, passarei aqui o link quando estiver publicado. Peço mais uma vez desculpa por não desenhar mais do que estes esquemas, por favor, ás vezes temos outros a fazeres na vida que é muito mais importante e toma nosso tempo por um todo, mas não deixo de fazer o meu papel de ser um bom blogueiro de nosso hobby em montagens eletronicas na área de transceptores. Meu muito obrigado a todos.
Waldir Cardoso.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Novos blogs.

Pessoal todos os meses publicarei esta divulgação:
Sendo eu amante da eletrônica, tenho o prazer em procurar ajudar aos iniciantes e montadores de projetos eletrônicos, gosto e desde criança sou apaixonado por RF "transceptores" por este motivo tendo hoje a facilidade da internet "WEB" para levar um pouco do que aprendi e ainda estou aprendendo pois nunca sabemos demais, e cada dia procuro aprender uma nova descoberta. Pois é tendo este meio de comunicação eu criei o primeiro blog: Projetos e transceptores, em Maio de 2012, com a finalidade de mostrar, incentivar, e divulgar meus esquemas e projetos simples, depois tomei outra direção em desenhar diversos projetos e esquemas postado aqui na WEB ou em antigas revistas, sempre procurando modificar ou diferenciar os esquemas para incentivo aos iniciantes e montadores, hoje o blog: Projetos e transceptores. Tem pouco mais de 5 anos, com 43 seguidores, e tem mais de 280.000 acessos.
Em abril 2015, criei um novo blog: esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.br . Esquemas projetos eletrônicos. Este com a finalidade de divulgar os esquemas e xerox que possuo, ou revistas encontradas na WEB sempre na área de eletrônica de um jeito diversos, para mostrar abordar ou comentar algum assunto do esquema publicado para incentivar e ajudar os iniciantes.
Este mês Agosto de 2017, criei mais um blog: sucataseletronicasdoacoes.blogspot.com.br/ Sucatas eletrônicas doações. Criado com a finalidade de aproveitar o que é descartado por cidadãos, empresas, oficinas, prefeituras, etc. como "Lixo eletrônico", eu como bom garimpeiro quero divulgar o  que em quase todas postagens comento aqui no blog sobre componentes aproveitados de sucatas, todos os montadores já fez ou vai fazer uma montagem com algum componente de uma boa sucata, isso é inevitável, eu já faço isso desde criança quando comecei na eletrônica pois não tinha dinheiro para comprar os componentes, eu aprendi a selecionar, limpar, testar, manusear, lubrificar, e guardar "armazenar" bons componentes que servirão para minha próxima montagem eletrônica sem gastar muito dinheiro, e sem ter que ficar procurando por componente de loja em loja e não achar "mosca branca", já divulguei aqui no blog alguns transceptores em AM montado por mim com 98% de componentes e caixa de sucatas, tenho o maior orgulho. A criação deste novo blog também  é para agradecer aos meu amigos, colaboradores, que me ajudaram e ajudam doando todo tipo de sucatas eletrônicas. Muito obrigado aos seguidores e a todos que acessam os blogs, e você que gosta de eletrônica e faz montagens click nos links acima para ver mais sobre esse mundo fantástico que é o futuro do mundo. Obrigado.
Waldir Cardoso.


segunda-feira, 31 de julho de 2017

VFO e VXO MIX RTX

Pessoal a ideia desta publicação este mês, e levar ao conhecimento de que podemos fazer pequenas mudanças ou adicionar circuitos e ter um resultado final satisfatório em nossos projetos TRX RX ou Transverter, os circuitos de VFO e VXO juntos resultando em uma só frequência com uma ótima estabilidade para nossos projetos QRP entre outros.
Esta  ideia que já existe antes das décadas de 60 e 70, e publicadas em revistas italianas em circuitos VFO, TX, e TRX. São mais usados os osciladores Colpitts em VFO, VXO e VCO, com conjunto LC indutor e capacitor, ou cristal, eu tenho em rascunho mês 09-2016 não publiquei, mas a  ideia que eu tive para associar dois osciladores em um misturador formando um só circuito para termos um em TX e o outro em RX, com comutação a relé ou diodos fazendo a diferença da FI em um dos dois circuitos, um seria com ressonador 455 Khz ou cristal VXO, o outro seria com (LC) indutor e capacitor VFO, para FI de 455 Khz ou 10.7 Mhz, depois publicarei essa minha ideia. Os circuitos de VFO e VXO postados este mês são semelhante a minha ideia. Simples explicação sobre VFO ou VXO: Sem aprofundar, podemos variar pouco ou muito de freqüência em um oscilador LC ou controlado a cristal, tudo dependera da multiplicação onde vai sair o sinal harmônico ou fundamental, Ex: Um oscilador em 7.2 Mhz com indutor,  variável, ou varicap variando 300 Hz depende da capacitância do varicap cristal em pF, no segundo harmônico será variado aproximadamente 600 Hz, no terceiro harmônico teremos aproximadamente 900 Hz, é possível variar mais multiplicando os circuitos e sintonizando conforme o número de vezes dos harmônicos criado pelo conjunto LC ou cristal fundamental. Para termos uma melhor estabilidade VXO coloca-se dois ou até cinco cristais paralelos ligados a um indutor e um trimmer ou um varicap para que possa variar com uma melhor estabilidade de não deslocamento da freqüência selecionada em TX ou RX, empregamos esse tipo de circuito em altas ou baixas freqüências. O oscilador Colpitts controlado conjunto LC indutor e capacitor VFO, têm uma variação na fundamental entre 150 a 400 Khz, muito mais que o VXO, o VFO terá uma boa estabilidade em seu oscilador se levarmos em conta alguns itens, 1-Tensão filtrada e bem estabilizada, 2- Desacoplamento Vcc capacitores, 3- J-FET, MOSFET, transistor bipolar boa qualidade. 4- Conjunto LC menos reatância no Indutor nenas espiras e mais capacitância valor alto capacitor, 5-Oscilador com capacitores Mica prateada, Styroflex, no Buffer Styroflex, amplificador RF e LPF, capacitores cerâmica NP(0) Zero, geralmente capacitores de cerâmica NP0 tem uma coroa cor preta, 6- Temperatura no circuito oscilador indutor e capacitores, 7-Ligações curtas, fixação capacitor variável, cabo coaxial, cabo blindado, blindagem ou caixa, bom aterramento do circuito. Podemos dizer com estes itens e um FLL (Frequence Locked Loop) com PIC e display ou um PLL no VXO, certamente terá uma ótima estabilidade, e ficara com cara de industrial. Sabendo que o conjunto oscilador LC tanque VFO é o maior responsável, em alguns casos podemos montar o indutor L1 em fôrma TOKO 10 mm sem ajuste, sem núcleo interno, núcleo de ar, melhor é que ela seja blindada, podemos usar núcleos toroidal o indicado é Amidon T50-6 ou testaremos os núcleos AL>1000 de alta permeabilidade usadas em lâmpadas (eletrônicas) ou (econômicas) e reatores para fluorescente, podemos usar ferrites de bobinas FI grande tamanho 6,5 mm diâmetro por 10 mm comprimento ele tem furo central sextavado ou  núcleos a ar, os núcleos toroidais são melhores, pois requer poucas espiras e fio comum ou AWG de qualquer diâmetros, em alguns casos melhor blindar todos núcleos depois de pronto e aprovado o indutor. Lembre-se que esta bobina L1 é o que faz o circuito oscilador variar muito ou pouco, ter ou não ter boa estabilidade, o valor da indutância em uH, mH, nem sempre tem muita influência, devemos ajustar o indutor para que tenha boa variação e estabilidade, com valor indutância baixa a variação de freqüência e pouca, e com o valor alto perde a estabilidade no circuito. Os capacitores ligados do indutor, melhor que sejam mica prateada ou na falta, os styroflex podem ligado a (B) base do transistor bipolar ou (G) gate JFET, todos capacitores no oscilador devem ser de mica prateada ou styroflex, no Buffer styroflex, no amplificador RF e LPF os NP(0) zero, NP0, ligados linha Vcc desacoplamento eletrolítico, poliéster ou cerâmico o mais próximo dos terminais dos indutores e reguladores, se optar por capacitores variáveis podem ser de 150+150pF de rádio AM ou FM de 25+25pF plástico ou se quiser modificar um grande de rádios antigos para menor capacitância retirando algumas placas, os trimmers podem ser entre 3-30pF ou outros maior valor em pF, os diodos varicap podem ser para HF ou VHF testar sua capacitância, devemos levar em conta que uma ótima estabilidade de um VFO também temos os responsáveis conjunto oscilador dobrador ou triplicador, Buffer o amplificador de RF e sua saída, que fica melhor com filtro (PI) passa baixa, LPF atenuando ás freqüências indesejáveis harmônicos na saída, este filtro pode ter um ou dois indutores, se bem que o oscilador Colpitts são mínimas ressonâncias em espúrios. Bem pessoal pesquisando muito sobre VFO, tem outras ideias que os nossos amigos montadores sugere e é bom ler e pesquisar, tudo é bem vindo, melhor fazer testes antes. A respeito do nosso assunto deste mês não encontrei nenhum esquema na WEB de dois osciladores VFO e VXO em um só resultado de soma ou diferença de freqüência, não sei o porque, só em revistas italianas, e na Eletronica Popular 119-03 maio junho 2001 artigo VFO gafanhoto parte 1 para o antigo TX "Pequeno Polegar" do Nelson Chimentão PY 4BJC. Encontrei vários esquemas do PY 2OHH Miguel de São Paulo Brasil, ele tem bastante experiência e montagens em osciladores VFO, VXO, FLL, PLL e demais circuitos de RF. Ditado popular "Da a Cezar o que é de Cezar", eu não tenho experiência profunda com VFO, muito menos com VXO, apenas em algumas montagens de RX, TX e RTX, onde usa o oscilador local LC ou a cristal, é mínima minha esperiência com VFO, VXO, e VCO. Sr Miguel tem muita experiência e é fera mesmo nestes tipos de circuitos de RF, por isso vou postar abaixo vários links do Miguel e outros colegas para que vocês possam ler, entender e salvar copiando todo conteúdo e colando no WORD, sobre VFO com sintonia a varicap, (Diodo Capacitância Variável) com capacitor variável, e controlado por tensão VCO, e VXO, vejam nesta página o autor relata sobre VFO e VXO para ter uma estabilidade melhor leiam na Osciladores em:http://homepage.eircom.net/~ei9gq/tx_circ.html  Um projeto usando um led como varicap para sintonia fina está nesta página em: http://www.tuckley.org/vfo/  nesta em PDF o esquema e manual de construção do VFO http://www.tuckley.org/vfo/intermediate-vfo10.pdf Nesta página do Miguel PY 2OHH tem como vocês montar um bom e estável VFO: http://py2ohh.w2c.com.br/trx/vfocolpitts3/vfocolpitts3.htm ainda tem planilha para cálculos: http://py2ohh.w2c.com.br/trx/vfocolpitts/colpitts1.htm dos circuitos sintonizados, e filtro de saída LPF, VFO Ararinha em:http://py2ohh.w2c.com.br/trx/ararinha2012/ararinha2012vfo/ararinha2012vfo.htm VFO 40 e 80 metros em:http://py2ohh.w2c.com.br/trx/vfo40-80/vfo40-80.htm Montando o FLL tudo sobre em:http://py2ohh.w2c.com.br/trx/ararinha2012/fll2012/fll2012.htm Nesta sobre FLL, IK3OIL PDF em inglês em:http://www.ik3oil.it/_private/article%20FLL%20VFO.PDF visitem a página: http://py2ohh.w2c.com.br/trx.htm do PY 2OHH Miguel lá vocês vão encontrar vários projetos HF VHF com fotos dos protótipos entre VFO, VXO, VCO, PLL, PA, Buffer, LPF, entre muitos projetos todos aprovados pelo Miguel. Vejam também a página hanradio em:http://www.hamradio.in/circuits/vfo.php Na página do amigo Aloysio montou VFO do Ararinha em:sites.google.com/site/aloysioeletronic/home/z0-vfo---ararinha-4b Em PDF salve a página amigo Ronaldo PY2FNE em:http://www.py2nfe.com.br/Arquivos-pdf/VFO.pdf Na página do amigo Luiz PY2HA com VFO  80 metros no oscilador e saída em 40 metros Antena Eletronica Popular volume 108 N2 pág. 106, 107. (Ref.1145-1994) Autor: Amer J. Feres PY2 DJW em:http://www.qsl.net/py2ha/vfo/vfo_40_80.htm  Aqui na página Feirinha digital em:http://www.feirinhadigital.com.br/py2djw/mat8/py2djw-mat8.htm No blog publiquei um semelhanças idênticas do Sr. Juvenal Silva Neto publicado E.P 415 de 1980 em:http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2013/01/ofv-multidanda.html
Publiquei a matéria do VFO a conversão Gafanhoto para 7 Mhz projeto do Nelson Chimentão PY4BJC vejam em:https://esquemasprojetoseletronicos.blogspot.com.br/2017/08/vfo-conversao-gafanhoto-7mhz-rtx.html circuito bem elaborado mais parecido com os abaixo postado.
Vamos aos 10 esquemas para ter detalhes dos indutores dos esquemas desenhados por mim, melhor baixar ás revistas ler sobre o artigo, e baixar ás planilhas e páginas sobre VFO do PY 2OHH Miguel.
Este esquema está na página 287 da revista italiana CQ Elettronica de 1978-02, baixe a revista aqui em:
São 3 esquemas abaixo desenhado e modificado parcialmente.
Frequência 38.2 Mhz saída do VXO.
Pequena modificação regulador tensão, e alimentação varicap.
Modificação conjunto LC trimmer, reguladores tensão, e filtro LPF VFO.
Abaixo observem que o VFO está com dois diodos varicap, para maior variação indutor bifilar na saída para o filtro LPF, este indutor pode ser enrolando de 4 a 6 espiras bifilar de fio 25 AWG ou comum, em toroide AL>1000 de lampada (econômica ou eletrônica), escrito texto acima. 
Abaixo esquema já modificado VFO e VXO, com varicap, mas permanece L3, L4 do original.
Este abaixo está publicado na revista CQ Elettronica pág. 1348 de 1974-09 pode ser baixada aqui:
Estes osciladores VFO e VXO está na frequência entre 72 e 73 Mhz, o restante do circuito dobra esta frequência pois faz parte de um TX para 144 a 146 Mhz comutado por um relé A-B ligando um capacitor de 6p8, em paralelo L1, isso na versão original da revista, eu modifiquei colocando diodos varicap, e adicionando dois cristais como Hiper VXO, e se quiser usar como transmissor de FM, é só desligar o resistor 100k do catodo do varicap do VFO e ligar ao circuito pré de microfone.
Modificação varicap e regulador tensão.
Este esquema abaixo está na revista CQ Elettronica pág. 615 1976-04 baixe aqui:
esta revista é muito boa com vários circuitos interessantes. A modificação foi os diodos varicap e regulador tensão. A frequência do VFO é entre 467 Khz, e o VXO entre 26.510 Mhz e resulta entre 27 Mhz CB. este parece a minha ideia que relatei acima no texto. observe que o VFO é quem recebe o sinal do simples VXO entrando no (G) gate do JFET através do capacitor de 10pF, L2 esta sintonizada e ressonando entre 27 Mhz.
Modificação nos varicap, e regulador de tensão.
Este esquema abaixo é com VFO de 3,5 Mhz dobrando L2 para saída de 7 Mhz publicado aqui no blog autor do Sr Juvenal Silva Neto, Publicado Eletrônica Popular 415 Abril de 1980 em: http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2013/01/ofv-multidanda.html  Também  esta na página do Luiz PY2HA um idêntico autor PY2 DJW Amer J. Feres em:http://www.qsl.net/py2ha/vfo/vfo_40_80.htm
O circuito VFO está idêntico aos do PY 2OHH Miguel, e está na frequência original de 7 Mhz saída, o VXO com 3 cristais um Hiper VXO em 20 Mhz, L5 sintoniza e ressona em 27 Mhz.
Circuitos do VFO dobrador 80 metros para 40 metros idênticos do mesmo autor.
Circuito VFO dobrador de 80 metros para 40 metros L2 aqui está com secundário.
Desenho modificado porem dobrando a frequência inspirado nos circuitos VFO acima.
Foto abaixo indutor L1 osciladora VFO para ressonar entre 3.5 Mhz.
Abaixo foto indutor L2 VFO dobra e ressona entre 7 Mhz.
Abaixo um circuito na frequência de 20 Mhz poderá ser usado em nossos transverter para 40 metros L3 sintoniza e ressona em 20 Mhz, a diferença de 25 Mhz do VXO e 5 Mhz do VFO, resulta 20 Mhz na sua saída.
 
No esquema abaixo L3 está ressonando e sintonizada em 20 Mhz, a soma do VFO, 5.6 Mhz e VXO 14.318 Mhz resulta entre 20 Mhz também ideal para nossos transverter para 40 metros. 
Este esquema abaixo é meio complexo, com frequência elevada 144 Mhz VHF, foi publicada na revista italiana CQ Elettronica de 1970-09 página 922, baixe aqui em: 
http://www.introni.it/pdf/CQ%20elettronica%201970_09.pdf Trata-se do VFO e VXO circuito para um TX em 144 Mhz, fiz algumas pequenas modificações principalmente em Q1 colocando um JFET J310 no lugar do 3N128, pode ser o MPF 102, ou até o BF 245 só no oscilador, pois o VFO está entre 28 Mhz, o VXO está entre 38 Mhz, a coisa complica entre o JFET J310 que recebe o sinal do VXO o conjunto C3, C4 L2, L3 ressona e sintoniza 144 Mhz, o último transistor pode ser 2SC 1906 ou MPSH10, L4, C5 está na saída de 144 Mhz ressonando nesta frequência.
Esquema original revista.
Pequenas modificações nos osciladores reguladores tensão e JFET. 
Pessoal Os transistores podem ser substituídos em baixa frequência até 27 Mhz por 2SC 1815, BC 547, 2SC 945, BF 494, 2N 3904, entre outros, para frequências VHF os 2SC 3510, 2SC 1906, BF 240, BF 200 BF 180, BF 199, MPSH10,  todos os diodos tem sua capacitância, ao ser ligado inverso ou direto no circuito tanque LC, os diodos retificadores da família 1N40XX como os diodos zener e até Led podem ser experimentados no lugar do varicap, porem com menor variação, mas para termos uma variação maior teremos que colocar dois diodos varicap ligados catodo com catodo, através de um resistor de 47k ou 100k ligado a o terminal central do potenciômetro, a tensão regulada entra terminal na extremidade e a outra extremidade ligado a um resistor ao negativo com valor entre 560R a 2k2, ou direto a negativo, os anodos um vai a negativo e outro anodo é saída para um outro capacitor mica ou styroflex ligado a base (B) ou gate (G) do semicondutor oscilador, possivelmente variamos mais com tensões nos catodos entre 1Vcc, a 9Vcc, entre 2pF a 28pF, mas isso depende dos varicap usados. Todo texto desta publicação foi um pouco de minha experiência lendo e montando alguns circuitos ao longo dos anos e o que pesquisei este mês, principalmente na página do PY2 OHH Miguel, Bem eu espero que gostem e mande comentários se há erros e sobre este tipo de circuito que acho nem todos que mexe com RF TX, RTX, pensavam em fazer na falta de cristais de determinada frequência, espero comentários. Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Transverter 145 Mhz 27Mhz, 28Mhz AM SSB 5W a 12W RF LZ2ZK.

Este mês publico mais um transverter na faixa de 2 metros de 144 a 148 Mhz, dependendo do cristal usado no oscilador local (VXO). Desta vez trata-se do projeto Búlgaro do LZ2ZK na página: Bulgarian Amateur Radio Station em: http://lz2zk.bfra.bg/homebrew/trsv/trsv2/index.html salve o link, e a página em Word no Google Chrome traduzido para ler, é muito importante, em letras vermelhas baixe e salve tudo que precisa como: Confecções dos indutores, PCI, e tudo que disponibilizou e publicou em suas páginas sobre esse fascinante transverter, baixe o esquema original em PDF em: http://lz2zk.bfra.bg/files/2m_sch.pdf  PCI em PDF em: http://lz2zk.bfra.bg/files/comp.pdf . Fiquei entusiasmado com os detalhes e como o projeto simples foi bem elaborado com divisor capacitivo LC Filtro banda passante bobinas e tendo um sinal limpo em sua saída de TX. Breve comentário do circuito original: Na comutação de TX RX temos dois relés acionados pelo PTT na base de Q7 onde REL 2 K2 comuta a saída de antena do transceptor de 10 metros, em REL 3 K3 comuta a saída e entrada de antena de 2 metros, os transistores são de fabricação Búlgaro ou Russo, desenhei mais sete esquemas com nossos conhecidos transistores, o projeto é bastante simples, claro que como todo circuito na faixa de VHF 2 metros requer um pouco de experiência em TRX montagens e confecções de indutores, assim também vocês terão de ter instrumentos e uma bancada.
Este é o esquema original convertido pdf em JPEG.

Esquema 1- Original LZ2ZK, desenhado na integra.
Esquema 2- Atualizado parcialmente para 27 Mhz ou CB, com transistores que poderão ser substituídos por outros de menor potencia ou maior potencia, falta de transistores acrescentarmos em paralelo dois ou três para termos maior potencia, no PA temos um 2N 6081, que pode fornecer até 12W RF, no excitador um 2N 6080, e um 2N 3866 no buffer, colocamos um BF 981 no pré amplificador este Mosfet de porta dupla tem aproximadamente 250 mW RF, observe que eliminamos dois Relés, restando só um na comutação da antena do transceptor, o Mixer IE 500 comercial, veremos nos próximos esquemas algumas modificações inclusive no Mixer.
Esquema 3- Com a mesma potencia de RF e melhor elaborado, mantemos o coração do circuito do Sr. LZ2ZK, observe que eliminei a ligação para o PTT, coloquei uma chave a transistor BC 338 ou substituto acionado por RF do transceptor, o ATT atenuador de carga TX CB, agora com 50 ohms, dois resistores de 100 ohms em paralelo, podemos adicionar outros ATT, observe que o Mixer agora é de fabricação caseira, devemos respeitar os 4 diodos e os 2 toroides empregados, lembre-se que estamos trabalhando com freqüência alta acima de 140 Mhz, devemos colocar  núcleos FB 801-43 ou outros mas que tenha boa permeabilidade para esta freqüência, os diodos podemos fazer testes com o 1N 60, ou outros de germânio, os que desempenhar melhor nesta freqüência, enquanto ás espiras podemos fazer testes começamos com 3 espiras de fios 28 a 32 AWG, trifilar, se quiser poderão  comprar um SBL IE 500 Mixer pronto mas não é barato. Farei uma matéria sobre este assunto nas próximas publicações.  
Esquema 4- É o mesmo do esquema 3, temos um 2N 3553 no PA que chega a 5W RF, observe que o circuito é praticamente igual, tendo só os transistores de menor potencia para fornecer os 5W RF.
Esquema 5- Com mesma potencia de RF 12W, mas temos dois transistores MRF 237 em paralelo no excitador, observe que o Mixer foi modificado a entrada de RF CB, e oscilador 117 Mhz, e saída de 144 Mhz, podemos fazer esta ligação deste jeito.
Esquema 6- Este esquema modifiquei o PA agora com o Mosfet RD15HVF1 que poderá fornecer 10W RF, o Mixer com Mosfet de porta dupla BF 981, observem que L9 está ligada +Vcc a “D” do Mosfet Mixer saindo no divisor capacitivo por um capacitor de 2pF ou 2p2 para L10, que entra em “G1” do pré RF BF 981 Mosfet porta dupla, temos em “G1” um sinal de 144 ou 147 Mhz já limpo, este sinal vai a L11 complementando a filtragem do sinal que alimenta a base do 2N 2369, 2N 4427, ou 2N 3866 temos na saída de antena um sinal em 2 metros com pouquíssimo harmônicos podendo o montador reduzir o filtro LPF por um de 3 elementos, deverá sair mais alguns milliwatt RF, comece a ajustar P1 Mosfet PA com P1 no centro, ajuste P2 entrada de RF 28 ou 27 Mhz CB para ficar com boa modulação SSB, e AM com sinal de RF limpo. Os componentes com (*) devem ser ajustados se precisarem, os pontilhados poderão ser adicionados. Em RX se quiserem estreitar mais a faixa e melhorar a recepção poderá colocar mais um indutor igual a L1 LC, sinal passando para L1 com capacitor de 10pF melhorando o filtro BPF. O oscilador local (VXO) agora selecione os cristais de 39 Mhz ou 40 Mhz, acho difícil achar cristais nesta freqüência fundamental, podemos colocar em segundo harmônico de 19,5 e 20 Mhz, ou outras frequências próximas, desta maneira cobrimos toda faixa de 2 metros aqui no Brasil de 144 a 148 Mhz, se seu cobra for (chucrutado, chicrutado ou esticado) modificação nos canais PLL, de 26 a 28 Mhz. 
Esquema 7-Eu não poderia deixar de desenhar este circuito para colocarmos dentro do famoso Cobra 148 gtl, a potencia de RF é aproximadamente 10W, mas podemos montar o PA com uma maior potencia, se colocarmos o 2N 6081, ou não recomendado o 2N 6082, mas este deverá ter mais excitação, pois ele é de aproximadamente 25W RF, claro que não vai chegar a esta potencia neste circuito, mas com uma boa excitação podemos ter em torno de 20W RF PA, melhor fazer testes com este transistor, ou se preferir podemos colocar PA dois Mosfets em paralelo, teremos mais alguns Watts de RF ou 3 2SC 1971 PA em paralelo. Observem na modificação do circuito de Mosfet e transistor. Neste circuito temos um relé duplo contatos RL1 para comutação do transceptor CB e o circuito transverter na saída e entrada do conector ANT. SO239, e alimentação +Vcc 13,8V SSB e 5,6V modulados AM do centro da chave S 403-2 MODE, que vai para C 191, a ligação do meio da chave deve ser ligado a chave ou relé, e depois a C 191, esta alimentação faz a comutação da chave a transistor BD 140, BD 138, ou TIP 32, de TX e RX é feita com um simples BC 338, ou BC 547, através da ligação da chave CH1 ou relé RL1 nos dois esquemas, mas se preferir poderá ser ligado o PTT no coletor do BC 338, na ligação dos resistores 6k8 de +Vcc e 1k da base do BD 140, se preferir por este circuito PTT não monte a chave completa siga esquema 1 original do transverter, isso serve para os dois esquemas 7 e 8. Ás ligações do transverter no cobra 148 gtl está na página do mês passado em: http://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2017/05/transverter-2-metros-10-e-11-metros.html aqui colocarei o mesmo esquema das ligações atualizado.
Esquema 8- O esquema é idêntico ao anterior, porem acrescentei em paralelo o Mosfet RD15HVF1, que poderá nos fornecer mais dois ou três Watts RF, os resistores de "S" ligados a negativo podem variar de 2R2x2 ou 0.56Rx2, ajuste P1 até obter maior potencia de RF, ajuste P2 que poderá ser substituído por um resistor fixo depois de tudo pronto. O resto do circuito é idêntico ao esquema 7
Foto protótipo transverter 145 Mhz 28 Mhz LZ2ZK. na foto observem que só tem dois relés, o autor deve ter eliminado o REL1 K1 ligado em +Vcc 13,8V, ou esta na entrada +Vcc dos dois transverter na foto abaixo.
Foto em zoom observem na parte de cima os indutores de TX filtro LPF ANT.
Mais zoom dos indutores Driver, PA, e filtro ANT. LPF.
Foto PCI lado componentes original Transverter LZ2ZK.
Foto dos protótipos 2 metros e 6 metros transverter LZ2ZK.
Pessoal abaixo estão esquema de ligação dentro do cobra 148 gtl, e ás características das bobinas que baixei na página original. Como costumo a escrever minha ideia, eu gosto de transverter e acho melhor dentro do rádio, tem suas boas vantagens, não fica exposto, economiza fonte ou fio de ligações, conector e caixa, faz parte do rádio, economiza os transistores excitador e PA, agora tanto interno ou externo temos que ter tabela de frequências.
Ligações no Cobra 148 gtl em todos transverter interno.
Confecções das bobinas original da página LZ2ZK.

COILS
L1; L2; L3
N = 5 tur. CuAg 0.5мм; D=5mm; L=6mm; brass core (form from"LEN")
L4
N = 11 tur. ПЕЛ 0.35мм; D=5mm (Form and ferite core from "LEN") Y9-L2
L5
N = 11 tur. ПЕЛ 0.35мм; (form and core from "LEN")
L6
N =   9 tur. ПЕЛ 0.5мм;  (form and core from "LEN")
L7 ; L8
N =   7 tur. ПЕЛ 0.5мм;  D=5mm; L=6 mm; brass core (form from "LEN")
L9; L10; L11
N = 5 tur. CuAg 0.5мм; D=5mm; L=6mm; brass core (form from "LEN")
L12
20uH
L13
N =   5 tur. CuAg 0.8мм;  D= 5mm; L = 8mm
L14
N =   2 tur. CuAg 1.0мм;  D= 6mm; L = 4mm
L15
N =   10 tur. ПЕЛKE 0.8мм;  K 7x4x2 u= 600
L16
N =   5 tur. CuAg 1.0мм;  D= 6mm; L = 10mm
L17
N =   10 tur. ПЕЛ 0.8мм;  D= 3mm; L = 8mm
L18
N =   2 tur. CuAg 1.0мм;  D= 6mm; L = 6mm
L19
N =   1 tur. CuAg 1.0мм;  D= 6mm; L = 4mm
L20
N =   10 tur. ПЕЛKE 0.8мм;  K 7x4x2 u= 600
L21
N =   5 tur. CuAg 1.0мм;  D= 6mm; L = 10mm
L22
N =   10 tur. ПЕЛ 0.8мм;  D= 5mm; L = 8mm
L23
N =   2,5 tur. CuAg 1,2mm D= 7mm L = 4mm
L24; L26
N =   3,5 tur. CuAg 1.0мм;  D= 7mm; L = 8mm
58nH
L25
N =   4,5 tur. CuAg 1.0мм;  D= 7mm; L = 7mm
93nH