BLOG LOCAL: ALAGOINHAS, BAHIA BRASIL.

domingo, 25 de setembro de 2016

Conversor 27 Mhz CB para ondas médias

Este simples conversor foi publicado na revista Eletrônica Popular vol 36 n 3 Maio e Junho de 1974.  Na década de 70 em que já estavam no mercado os semicondutores transistores de silício e germânio no Brasil, logo começaram a dá lugar os esquemas transistorizados em nossas revistas, que antes eram valvulados, era comum esquemas com transistores PNP, a eletrônica começava a ficar mais popular e mais fácil, motar esquemas divulgados em revistas era o hobby de radioamadores, técnicos e iniciantes na eletrônica, pois não necessitava mais de fontes de alta tensão para alimentar os transistores, com simples pilhas e tensão de 3 a 12 volts se montava inúmeros circuitos pequenos. Já publiquei aqui circuito de conversor para receptores de ondas médias, o inconveniente é que tem que ser feito o batimento das duas frequências em uma frequência livre das estações de ondas médias. Sobre o circuito original: Segundo o autor J. Del Campo, este conversor deu resultados satisfatório enquanto a sensibilidade de mais de 1uV que na prática não se encontrou qualquer diferença nem na qualidade e na sensibilidade de recepção com um ganho de 20 dB (dez vezes o sinal de entrada) introduzido pelo conversor. O cristal usado no oscilador tem que ser o mais perto possível dos canais da faixa de 11 metros CB, exemplo: recebendo o canal 60 CB, 27.605 Mhz oscilador local de 26.605 Mhz, temos a recepção em 1.600 Mhz ainda em ondas médias, para receber todos os canais CB oscilador local deve estar em 26.140 Mhz recebemos o canal 20 CB em 1.065 Mhz no meio da faixa ondas médias, assim temos mais de 60 canais CB de recepção, em toda faixa de ondas médias. Confecções das bobinas: O autor confeccionou ás bobinas em fôrma de baquelita com ferromagnético de 8 mm de diâmetro externo, enrolar primeiro L2, com 24 espiras (terminais E-C) com derivação em 8 espiras, (terminal D) e prosseguimos enrolando ás 16 espiras (terminal D-C), enrole todo enrolamento com fita adesiva transparente. L1, deve ser enrolada 2 espiras no mesmo sentido, pelo lado neutro, parte inferior da fôrma. L5, L6, será igual a L1, L2, sem a derivação, enrole primeiro L5 ela tem 24 espiras, passe fita adesiva, enrole agora L6 pelo lado de baixo da fôrma com 2 espiras, todas são usado fio 0,3 mm 28 AWG, L3, L4 deve ser uma bobina de antena de ondas médias. o autor não escreve como é confeccionada, como é difícil achar este tipo de bobinas no comércio, tenho uma sugestão para teste, colocar de núcleo vermelho, bobina osciladora de ondas médias, ela se aproxima muito de toda faixa de 540 Khz a 1600 Khz, pois o oscilador sempre esta a cima 455 Khz do sinal recebido pela antena, então se girar o núcleo vermelho ferrite podemos deixar num ponto em que teremos maior ganho de recepção, então coloque o receptor no centro da faixa de ondas médias e faça todo procedimentos de regulagem das bobinas para o máximo de recepção.
Esquema original com transistores PNP.
Esquema original com transistores NPN.
Abaixo temos o esquema desenhado com transistores NPN, notem que eu só modifiquei o sentido de alimentação de positivo e negativo, a alimentação de base de Q1 está original, poderá diminuir o seu valor de R2 para 47k, ou 39k, ou colocar antes de definir o valor um trimpot de 100k até achar o valor que der maior rendimento, depois é só retirar o trimpot e medir com multímetro os terminais soltos que estavam ligados e ver o valor da resistência a ser colocada. Ex: Se deu 42k podemos arredondar para o valor de 47k.
Abaixo já com um VFO no oscilador melhorando sua estabilidade em recepção.
Conversor ou receptor 27 Mhz CB melhor elaborado: com VFO e pré amplificador de antena. para quem não tem o cristal de 26.100 Mhz, podemos adaptar um VFO de melhor estabilidade para este conversor, ou simplesmente com apenas um transistor oscilando e introduzindo o sinal de 26 Mhz ao transistor misturador, este conversor nada mais é que o começo de um rádio receptor sendo a sua diferença na bobina de antena que ao invés de ser uma FI de 455 Khz é uma bobina de antena de OM, e na frequência do oscilador local VFO que tem que ter uma diferença de menos 455Khz. Modificação receptor: Um capacitor variável de FM pequeno ligado ao oscilador VFO e a entrada de sinal de antena, o CAG poderá ser ligado também se preferir, se quisermos montar um receptor de 11 metros CB este projeto é ideal, a pequena modificação também está no esquema abaixo. Confecção das bobinas: L1-8 espiras L2-4 espiras, L4 e L3 idênticas a L1, L2, L3-7 espiras fio 32 AWG forma de 10 mm TOKO em todas, T1 já comentei acima em colocar como teste uma bobina osciladora OM de núcleo vermelho, ela se aproxima da faixa de OM.
Esquema do conversor 27 Mhz melhor elaborado.
Esquema do conversor com VFO maior estabilidade.
Conversor 27 Mhz Russo, e simples com filtro BPF.
Este esquema eu encontrei na WEB, desenhei com algumas mudanças em T1, filtro BPF antena, observem que eu sempre coloco reguladores de tensão nestes circuitos de osciladores ou VFOs, isso é para que a tensão se mantenha sempre estável nos coletores e bases dos transistores, não deixando que o circuito fique oscilando de frequência, mas não é só um simples regulador que vai estabilizar um circuito oscilador ou VFO, temos que levar em conta o tipo e fôrma de bobina no oscilador, capacitores do tipo styroflex, ou NP0, transistor ou FET, tensão, e por último blindagem e mecânica para eixo do VFO, na bobina osciladora onde é ligado o trimmer ou capacitor variável, são ligados outros capacitores em paralelos, quanto mais capacitores em paralelos melhor a estabilidade, pois a variação de temperatura em um capacitor é muito maior que em 3 ou 4, faça a associação, veja abaixo no oscilador de 26.1 Mhz era para colocar um capacitor de 47 pF, eu coloquei dois de 15 pF e um de 18 pF, ficando com 48 pF, assim terei no oscilador maior estabilidade. Osciladores com Fets são mais estável. Confecção das bobinas: Bem podemos colocar todas bobinas iguais ás do circuito de cima, em fôrma TOKO de 10 mm fio 32 ou 33 AWG, 8 ou 7 espiras no primário e quatro espiras no secundário, na bobina do oscilador a derivação poderá ser na segunda ou terceira espira do lado negativo, e continua mais cinco espiras, no total de 8 espiras, fio 32 AWG TOKO 10 mm. T1 já comentei sobre a mesma, ela deve esta sintonizada na frequência do canal de FI que neste caso será entre 540 a 1600 Khz.
Olha pessoal o "pior" ou ruim de um conversor em ondas médias ou em qualquer frequência, é quando se tem uma transmissão forte ou uma emissora comercial na frequência de um determinado canal que se deseja  escultar em 11 metros CB, Ex: Se você quer ouvir o canal 5 = 27.015 Mhz, o receptor terá de estar em 915 Khz, com o cristal de 26.100 Mhz no oscilador local do conversor, 26.100 + 915 = 27.015 Mhz que é a frequência de recepção do conversor, só que você não vai escultar o canal 5 CB se estiver uma emissora comercial local ou com potencia forte, mesmo que ela esteja em 910 Khz ou 920 Khz, você só ouvira ela, não é defeito do conversor ou você fez algo errado, isso é porque mesmo acoplando um conversor em outra frequência você está usando o restante do circuito de um rádio como canal de FI que tem já sua frequência alta e cheia de transmissões, o circuito do conversor não tem como rejeitar ás emissoras de OM quando estão forte, quando se tem o VFO pode se deslocar no VFO um pouco da frequência de batimento, e depois ir no variável do receptor OM, dá para fugir um pouco, sabendo-se que a rádio comercial estará lá em sua frequência sempre, mais como você deslocou um pouco o VFO da frequência do "canal de FI" ou primeiro misturador cuja mistura de sinal ficou diferente agora. Mas quando o oscilador do conversor é a cristal fixo como no primeiro esquema, sem um trimmer em série com o cristal para se deslocar um pouco de frequência, o jeito é ir corujar em outra frequência ou colocar um trimmer ligado em série com o cristal para deslocar um pouco de frequência, assim podemos minimizar um pouco este problema. O mesmo acontece com conversores de 40 metros para 11 metros, eu já expliquei isso em alguns esquemas que publico de transverter, por isso que um transverter fica um pouco a desejar devido a sua recepção, o bom é que temos em alguns casos tripla conversão, isso é muito bom na seletividade de um receptor.
Acima ou abaixo dos canais de menos um -1 e acima do 20 CB, ouviremos transmissões em SSB, mais comum em LSB, para ouvir vocês terá de adicionar um circuito pequeno de BFO, Oscilador de Frequência de Batimento entre 455 Khz, está aqui publicado no mês passado em:https://projetosetransceptores.blogspot.com.br/2016/08/conversor-bfo-escutar-ssb-em-radio-de.html  um outro esquema de BFO em: http://lu3xae.blogspot.com.br/2011/04/bfo-455-khz.html e :http://www.pan-tex.net/usr/r/receivers/sbfo.htm
http://www.geojohn.org/Radios/MyRadios/S120/S120.html  Existem centenas de esquemas de BFO simples e bem elaborado para adiocionar em um rádio para ouvir SSB e CW, de mais preferência aos filtros cerâmicos e ressonadores de 455 Khz.
Bem pessoal se vocês quiserem podem montar um receptor de 27 ou 50 Mhz com estes esquemas, para isso é só modificar ás bobinas para 50 Mhz, retirar o sinal de T1 que agora vai ser uma FI 455 Khz, completar o circuito com mais duas FI e amplificador de áudio. O sinal de entrada ANT. e mais 455 Khz da frequência do oscilador local. Ex: para ouvirmos uma estação de Radioamador em 50.250 Mhz menos 455 Khz que é o seu canal de FI, resulta em 49.795 Mhz seu oscilador local terá esta frequência.
Espero que gostem e mandem seus comentários sobre o circuito, quem montou mande comentários também.
Waldir Cardoso.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Conversor BFO escutar SSB em rádio de ondas curtas.

Você tem um bom rádio de ondas curtas antigo, e gosta de escutar “curujar” estações de Radioamadores, dependendo da antena ligada em seu receptor e da faixa de frequência, e propagação ajudando pode-se ouvir Radioamadores do mundo inteiro, principalmente em 20 metros,  por volta dos 25 metros em seu dial alguns rádios já capta estas transmissões, sempre girando o variável para o começo da faixa desejada, os que não receba esta frequência alguns rádios tem que ajustar um pouco a bobina osciladora e de entrada de antena, comece com uma chave plástica ou de madeira girando lentamente o ferrite para baixo da forma, com o dial no meio da escala assim a frequência subirá e vai captar alguma transmissão de Radioamadores em SSB, depois de fazer o ajuste na bobina osciladora vá a bobina de entrada de antena, faça o mesmo porem observe se o sinal aumenta de intensidade vá girando o ferrite até um ponto em que começa a baixar o sinal, volte e deixe mais forte possível, LEMBRE-SE a antena é principal nesse processo, monte uma antena cortada para a frequência que deseja receber “corujar”, uma antena dipolo de 6 ou 8 metros de altura confeccionada com cabo coaxial de 50 ou 75 Ohm, e fio 1,5 ou 2,5 mm pode ser fio flexível ou rígido, você verá a grande diferença de ouvir ondas curtas com uma boa antena em seu receptor. Sobre o circuito: O circuito é simples e não necessita de ajustes críticos ao ouvir no receptor uma transmissão em SSB sintonize para ficar forte o sinal, ligue o conversor BFO e veja a diferença no áudio, com o variável do BFO no meio gire T1 até “clarificar” entender nitidamente o que esta sendo falado, sintonize a voz correta não deixe nem grave “grossa” nem aguda “fina” o áudio tem que está como ás rádios de AM, alguns Radioamadores gostam de ouvir os colegas com voz “grave” grossa, outros gosta de ouvir com voz aguda “fina”, isso é um erro, pois se ele estiver conversando “QSO” ouvindo o colega com voz grave “grossa” quando ele transmitir vai chegar para o colega com voz aguda “fina”, isso porque eles estão um fora da frequência do outro, vocês ouvirão muito isso em uma rodada de 3 ou mais Radioamadores, não quer dizer que para cada um que estiver fora de sintonia terá de regular T1, NÃO, regule T1 uma vez ás demais transmissões você clarifica no próprio rádio girando vagarosamente a sintonia, a sintonia em SSB é estreita, já o AM é larga, por isso gire bem devagar a sintonia, pode-se tentar uma sintonia no capacitor variável do BFO. T1 pode ser uma bobina de núcleo amarelo ou branco de 455 Khz, use só o primário, o transistor pode ser qualquer um NPN de uso geral, como BC 547, BC 548. O que acontece quando você liga o BFO ou oscilador de frequência de batimento, ele produz uma frequência próxima a 455 Khz que entra no canal de FI fazendo o batimento e recuperando a portadora que é suprimida em transmissões em SSB, pode ser em USB ou LSB. Resumo: Eu montei este mesmo circuito há muito tempo atrás, não coloquei variável, fiz a regulagem só em T1 e ficou muito bom, não notei variação de frequência do BFO, como a frequência é baixa é menos critica, já o receptor ele sim se desloca um pouco de frequência depois de muito tempo “corujando”, não precisei mexer no rádio instalei fora e liguei a saída do BFO na própria antena do meu antigo Motorádio, que por sinal tem uma boa recepção em ondas curtas, fica melhor ainda quando ligo a antena de 40 metros.
Esquema original do BFO.
Se for ligar o BFO na mesma alimentação do rádio ou colocar dentro do rádio com uma chave ligando e desligando o BFO, não precisa ligar a saída do BFO a antena do receptor solde um pedaço de fio 20 cm, e enrole dentro do próprio rádio, pronto agora ajuste o BFO em T1 ao ouvir uma transmissão em SSB. Em alguns rádios externamente não precisa ligar na antena, é só deixar o fio por cima do receptor ou enrolar sem fazer contato na antena telescópica. Lembrando que a sintonia em SSB é bastante estreita, para sintonizar a voz você precisa ter paciência girando vagarosamente  lentamente a sintonia do receptor, faça testes sem o variável do BFO, em alguns rádios ao retirar a mão próximo do receptor ou tocar na antena a voz ficará ruim ou sairá de frequência, isso ocorre por que o receptor não tem o oscilador separado do circuito misturador, o que é bem comum em receptores comerciais, por isso bom mesmo é montar um receptor de respeito para esta finalidade. Bem espero que gostem dessas publicações deste mês, saiu atrasado.. 
Obrigado.
Waldir Cardoso.

Conversor OC e VHF de 15 a 50 Mhz

Publicado na revista Eletrônica total número 17 de 1990. De autoria do Sr. Newton C. Braga. Com este simples conversor podemos ouvir estações nas faixas de 30 metros a 2 metros ou mais em um simples rádio AM de ondas médias entre 540 a 1.600 Khz, só depende do montador em trocar os indutores e capacitores que determinam ás frequências como é o caso de C7, ele poderá variar de 100 pF a 2p2, dependendo da freqüência, quanto menor o capacitor maior será a freqüência sintonizada, a bobina L2  entre 15 a 30 Mhz enrole 10 ou 11 espiras de fio 22 AWG diâmetro 1 cm, núcleo de ar, para ouvir de 30 a 50 Mhz diminua para 6 ou 7 espiras do mesmo fio e forma, em L1 que é um microchoque de 10uH, que podemos fazer enrolando 20 espiras de fio 28 AWG, em um pequeno núcleo de ferrite de 0,5 cm de diâmetro e de 1 a 2 cm de comprimento. CV capacitor variável pode ser um pequeno para rádios AM FM usar uma cessão de FM no esquema versão 1, e usar ás duas cessões no esquema versão 2, o autor mostra a possibilidade de modificações no circuito para melhorar a recepção e ajuste, na saída do MOSFET em “D” colocamos L3 um choque de RF de 1mH no lugar de R4 10k, para construir L3 enrolamos de 150 a 200 voltas de fio 32 AWG em um resistor de alto 100k a 1M de meio watt, ou uma forma de ferrite de 0,5 cm diâmetro e 1 cm comprimento, vejam que temos duas bobinas ligadas em CV1 em L1 uma cessão de CV1 é para ajustar a entrada de antena ressonando na freqüência determinada, L1 deve ser montada em uma forma blindada TOKO de 10 mm, e deve ser com fio 34 ou 36, ou o próprio fio que esta nela, cuidado ao desmontar, no primário enrole entre 4 a 12 espiras, e secundário de 2 a 4 espiras conforme a freqüência escolhida, o diodo D2 dependendo da freqüência poderá melhorar a recepção contra interferências e freqüências indesejadas, podemos colocar um diodo 1N4148 como teste em uma das portas do MOSFET “G2” catodo para negativo, em L2  CV1 é ligado uma cessão para determinar a freqüência do oscilador local, CV1 é responsável pela sintonia do conversor, deixando o dial do rádio fixo entre 1.500 a 1.600 Khz sem estações, e ligando o conversor na entrada de antena do receptor podemos ouvir estações e outras transmissões na faixa determinada por CV1  L2, lembre-se de montar uma antena para a freqüência que deseja ouvir  “curujar” você vai ouvir também estações de Radioamadores e PX com som distorcido, e que eles estão transmitindo em SSB, e um radio AM não consegue ouvir nitidamente, a não ser colocando um BFO, oscilador de freqüência de batimento, ele faz o receptor recuperar a portadora suprimida em SSB nas suas transmissões, sem desviar do assunto, e  voltando ao nosso conversor. Em resumo: O conversor é bem simples e vale a pena queimar os dedos e ajustar ás bobinas escolher um determinada faixa e se divertir a valer, o MOSFET de porta dupla já amplifica bastante os sinais que entram pela antena precisando apenas serem sintonizados, podemos usar qualquer outro MOSFET de porta dupla comoBF 960, BF 961, BF 980, BF 981, BF 982, 3N 211, 3N 212,  3N 140, 40673, 40602, dentre outros MOSFETS com mesma configuração. Como costumo sempre dar um toque e procurar desenvolver mais os circuitos no intuito de melhorar, modifiquei o circuito acrescentando na entrada de antena um pré amplificador com BF 199, L1 agora só tem primário com mesma forma e fio já citado acima, na saída do MOSFET “D” agora L3 é sintonizada na freqüência de saída, ela deve ter a mesma forma e fio, ás espiras podem ser uma a mais que L1, conforme a freqüência, o capacitor pode ser um trimmer de 40 ou 100 pF de porcelana ou plástico, se alguém tiver um variável de FM grande de som residencial com 3 cessões poderá adaptar em L1, L2, e L3 para ligar em L3 ligue um capacitor em serie de 10 a 20 pF, faça testes. Para um bom desempenho melhor abrigar o conversor em uma caixinha metálica para o oscilador não receber influencia da nossa mão ao se aproximar do variável para sintonizar. ATENÇÃO: o MOSFET será o último componente a ser soldado, use ferro de máximo 30W, e seja rápido, observe se a carcaça do ferro não esta dando choque elétrico, queima  "fumina" o MOSFET. Lendo ás páginas da revista aqui publicada vocês vão entender mais sobre MOSFET de porta dupla com exemplos de soma e diferença de frequência, manuseio etc. a revista está para download no blog do amigo Picco que faz um belíssimo trabalho contribuindo para desenvolvimento da eletrônica "PARABÉNS" Picco. blogdopicco.blogspot.com.br/2015/02/revista-eletronica-total.html.
Capa da revista.
Esta eu baixei do blog do Picco.
Começa aqui. Leiam para entender como é o principio de um conversor e misturador de frequências com MOSFET de porta dupla.
Abaixo o autor explica como ás portas do MOSFET recebe ás frequências, nesse caso a diferença é para nosso conversor.
Abaixo como se comporta ás frequências entrando nas portas do MOSFET, 
Sugestões de modificações no circuito. Muito importante leiam.
Esquema original do conversor.
O layout das PCI do conversor, pode ser menor e trilhas mais grossa aterrar com negativo ás partes livres da PCI, se possível blinde todo oscilador por cima e baixo.

Sugestão do autor sobre o capacitor variável. Melhor de três cessões de FM. Observe também a antena. Melhor com cabo coaxial de 50 Ohm, e cortada para a frequência que se deseja ouvir.
Abaixo sugestão de ligação do conversor ao receptor de ondas médias.
Abaixo os cuidados no manuseio dos MOSFETS.
Esquema simples do conversor, a saída ligue a antena do receptor de OM.
Esquema modificação do autor em sintonizar a entrada de antena.
Esquema melhor elaborado com pré de antena e sintonia de saída, melhorando o circuito.
Então está o conteúdo total e esquemas atualizados do conversor de ondas curtas e VHF, como sempre digo que pode-se fazer melhorias no circuito só depende de cada um, desenhei mais dois esquemas com algumas sugestão de melhora-lo. Não se esperem muito sobre o oscilador local, melhor e estabilidade seria com cristal, dependendo dos componentes este oscilador poderá variar de frequência, por isso a importância de se blindar todo oscilador. Meus agradecimentos ao ilustríssimo Sr. Newton C. Braga pelos fabulosos projetos e dicas divulgados em revistas de eletrônica.
Muito obrigado.
Waldir Cardoso.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Handie talkie AM 50 Mhz ANL SQUELCH. 2W RF.

Devido a muitos interessados em montagens de transceptores em Amplitude Modulada AM, e são muitos os acessos a estes projetos de transceptores nesta modalidade de modulação, eu particularmente não sou muito fã de AM, meu fascino sempre foi SSB desde quando comecei a modular em PX que ficava fascinado neste tipo de modulação, na época não sabia o que era SSB, pois só conhecia o AM que era os mais de 90% dos rádios PX. Bem o projeto aqui descrito é uma cópia do já publicado neste blog, devido o seu grande acesso resolvi redesenha-lo com algumas modificações como filtro ANL, e SQUELCH, mesmo sendo em Amplitude Modulada AM, 50 Mhz o que é pobre em TX RF mais rico em modulação do que SSB, este transceptorzinho de potencia entre 1,5 W a 2 W RF poderá fazer comunicação com estações base a longa distância, e se for montado um par igual com antena retrátil de 1,5 metros de comprimento, ou seja um quarto de onda da frequência, e alimentação superior a 9 volts eles poderão fazer uma comunicação de 2 a 6 Km ou até mais dependendo da região do Brasil. Bem o transmissor em Amplitude Modulada AM, é simples de montar e sem muita complicação nos ajustes, desenhei com dois canais no oscilador, mais poderá ser um só, o cristal poderá ser no terceiro harmônico em torno de 16.670 Mhz, ou na fundamental 50.250 Mhz, o oscilador na fundamental tem um pouco mais de RF. Mais explicações abaixo.
Este esquema abaixo com conjunto LC no oscilador de RX.
Esquema abaixo com dois cristais com diferença em RX -455 Khz
Lista de indutores, bobinas e variável.
Este mês super atrasado mais deu para desenhar um simples projeto que fiz com base no esquema do PX FAM-21 da Motorádio com algumas mudanças, o circuito é parecido ao já publicado aqui no blog, desta vez só versão portátil, em duas versões com FET no PA saída de RF que é muito mais barato que o transistor 2SC 1306 que vai a faixa de 50 Mhz com tranqüilidade dando uma boa potencia de RF, porem podemos reduzir a potencia colocando outros transistores de média potencia como os BD 329-16, BD 139-16, 137-16, 135-16, entre outros, para obter maior potencia de RF coloque dois em paralelo assim terá mais potencia que um só, cuidado com o BD 329-16 ele é fácil de queimar. Para quem tem só um cristal entre 50 Mhz ou 25 Mhz ou talvez 16.670 Mhz ou outros que somando duas vezes ou três cair na faixa de 50 Mhz 6 metros, você poderá usar no oscilador de TX, enquanto que no oscilador local do RX, podemos usar um com diferença de menos 455 Khz sobre o de TX, ou se você tiver um que aproxime-se da diferença de 455 Khz entre 400 Khz ou 500 Khz você poderá modificar ás bobinas de FI retirando ou colocando algumas expiras em cada uma, mas isso já não podemos usar o filtro de 455 Khz, ele terá de ser retirado do circuito, no local coloque um capacitor de 100 pF ligando a FI 1 ao resistor de 1k a base do transistor. ATENÇÃO  só mexa nas FIs se tiver experiência, isso é para você ficar com dois cristais tanto em TX e RX, ou poderá fazer, menos aconselhável o conjunto LC bobina e capacitor no local do cristal de RX, eu desenhei um simples oscilador que vocês poderá colocar um VFO melhor com mais estabilidade, pois com um só transistor poderá variar de freqüência na recepção. Um projeto de um só VFO para TX e RX na modalidade AM de diferença de FI 455 Khz eu vou desenhar e publicarei em breve aos que gostam de fazer experiência na área de transmissão e recepção. 

terça-feira, 14 de junho de 2016

Simples transmissor de FM experimental.

É muito comum vermos em revistas, livros, e aqui na WEB, transmissores de FM que emitem áudio voz e música em 88 Mhz a 108 Mhz, de diversas modalidades, e potencias, com um, dois, e quantos transistores for o circuito, mais vale lembrar que estes transmissores são proibido aqui no Brasil na faixa comercial e em outras faixas, sem a permissão e autorização da ANATEL. Eu redesenhei este transmissor que achei na WEB fazendo algumas modificações e substituindo os transistores para nosso mercado, é um simples transmissor de FM que poderá operar na faixa de 2 metros entre 144 a 148 Mhz modificando L1 e trocando os transistores por dois, 2N 4427, ou MRF 237, este último mais potente, pode-se também baixar mais a sua frequência e operar emtre 27 a 50 Mhz, aumentando ás espiras em L1 e adicionando um capacitor de 22 a 33pf nos coletores dos transistores. Vale lembrar que este projeto é um tanto experimental nestas faixas, ele transmiti em frequência modulada FM, e no caso de colocar para 27 Mhz terá de fazer mudança no modulador e desligar e retirar o resistor de 6k8 do ANODO do varicap, agora colocando um transformador de saída de áudio e na alimentação de +B 12V alimentando centro de L1, o resto do circuito fica original. 
 O circuito é simples e poderá fazer alterações para melhor desempenho e potencia de RF, poderá ser substituído os transistores por outros como 2N 2222, 2N 2219, e outros obdesendo a frequência de TX. Espero que gostem e monte como experimental só para se ter uma ideia como é a faixa de 2 metros ou VHF.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Simples transceptores CW 40M valvulados e CI.

Bem pessoal eu não entendo nada sobre válvulas, mais a pedido do meu amigo Paulo Victor PY2 PBB que tem um blog sobre projetos simples valvulados e transistorizados, estou publicando alguns esquemas redesenhado por mim e aprovado pelo próprio Paulo, vale a pena da uma olhada acesse http://transceptores-qrp-valvulados.webnode.com vá em galeria de fotos e vejam os esquemas assim como fotos de suas montagens. Lembrando que eu não sei nada sobre válvulas, por isso qualquer dúvidas ou perguntas poderá ser feita direto no blog do autor. Quero agradecer ao Paulo PY2 PBB que enviou os esquemas contribuindo assim para nosso Hobby Radioamadorístico e nosso blog.                        
Transceptor CW PIXIE 6W.
Nosso esquema PIXIE.
Simples TRX CW valvulado.
Nosso esquema.
Transceptor CW conversão direta TA 7358P.
Nosso esquema.
Para vocês que gosta de montagens a válvulas eis estes simples transceptors em CW de fácil montagem e que proporciona resultados surpreendentes de transmissão. 

Simples Walkie Talkie 27Mhz AM regenerativo.

Como tem muita gente aprendendo e montando circuitos eletrônicos trago mais um simples e diferente circuito na área de comunicação de rádios, de uma página Búlgara redesenhei e modifiquei alguns circuitos deste simples projeto e publico no intuito de incentivar aos iniciantes em montagens, a escada é começar em simples circuitos como este e adquirindo experiências para montagens mais difíceis complicadas e melhores. Dentre muitos circuitos de simples Walkie Talkie em FM regenerativo, eu desenhei este circuito formando um simples Walkie Talkie em 27 Mhz em AM, ou seja você poderá se comunicar com um colega PX com sua estação móvel ou base, basta ele colocar o rádio no canal da frequência 27,005 Mhz, ajustando o trimmer em série com o cristal do transmissor você poderá deslocar um pouco de frequência de transmissão, e subir para operar no canal 4 da faixa do cidadão, se precisar coloque um indutor de 10uH da base de T2 para o trimmer em série, isso caso você não consiga subir de frequência, isso dependerá do cristal também, alguns sobem ou desce menos que outros, diferença de capacitância do criatal, mais de qualquer forma você fará contato com alguém que esteja no canal 3 ou 4 de PX, agora vale lembrar que o receptor e regenerativo, por ser simples ele não tem seletividade e sua sensibilidade de captação e menor que um super heteródino, a seletividade é quando o receptor rejeita outras frequências diferente da sintonizada, ou seja a frequência sintonizada passa por um estreito canal de FI e só ela é ouvida, no caso do regenerativo sua seletividade é muito largo, você ouvira o comunicação nos canais vizinhos do canal sintonizado, fazendo assim uma verdadeira bagunça, e se a estação de PX estiver forte ou perto do receptor a coisa piora drasticamente. Para receber ás estações regule L1 que está ligado ao MOSFET BF 961 através do capacitor 68pf ao G1, e ao seu S, a bobina L1 deverá ter um ferrita interna para o ajuste do canal recebido, se quise poderá fazer teste retirando o capacitor de 33pf das extremidades de L1 e colocar um trimmer de 40pf. O circuito é econômico nas modalidades de 0,8W ou 800 mW, e mesmo com 1,2W de RF este circuito não chega a consumi muito da bateria, colocando uma bateria de 3 a 4 amperes com 12 volts você falará muito com uma estação base ou móvel. A antena é retrátil, para esta frequência teria de ser no mínimo de um quarto de onda que é 2,65 Metros, como não podemos colocar uma antena deste tamanho em uma simples caixinha, podemos colocar uma de 1,3 metros ou 1,5 metros de tamanho, a antena quanto maior melhor, compense o tamanho com uma bobina de carga ligada a antena e saindo para o transceptor, veja maiores detalhes em circuitos aqui neste blog de transceptores portáteis Walkie Talkies, ou nesta página Búlgara com vários e simples projetos.
 http://radiostorage.net/?area=tags/page/4/%F2%F0%E0%ED%F1%E8%E2%E5%F0 ou esta outra com montagens e experimentos na área de receptores regenerativos e outros. https://sites.google.com/site/linuxdigitallab/rf-ham-radio/27mhz-walkie-talkie-experiment
Simples transmissor FM esquema original .
TX em FM.
TX em AM.
Receptor com CI LM 386.
Receptor regenerativo e modulador AM a transistor.
Esquema original TX 27Mhz FM.
Tx 27Mhz FM nosso esquema pequena modificação.
TX 27Mhz  AM.
 
Transceptor Walkie Talkie 27Mhz FM 0,8W RF.
Transceptor Walkie Talkie 27Mhz AM, CI 386 0,8W RF.
Transceptor Walkie Talkie 27Mhz AM transistor.
Este aqui com mais de 1W de RF também em AM, ideal para comunicação com PX.
DESCULPE-ME.
O esquema abaixo estava com erro na saída áudio RX de TP1 para o FTE. Já está corrigido.
Como podemos ver é um circuito bastante simples, não tem complicação em sua montagem, o circuito de sintonia L1 deverá ter um pouco de paciência para confeccionar certinho na frequência de 27 Mhz, é bom tentar sintonizar estações distantes com uma antena adequada para PX e tentar melhorar a sensibilidade de recepção, faça testes com a antena telescópica que vai usar na caixinha, e tente melhorar a recepção. Bons contatos e Dxs com seu simples transceptor.

terça-feira, 12 de abril de 2016

Transceptor SSB CW 7 Mhz project ROJ

Este mês trago um transceptor simples de SSB e CW, encontrei na net em uma página búlgara, achei um projeto simples e arrojado, na página do autor tem todas ás explicações para a montagem, não necessitando de explicações aqui da minha parte, para quem acessar e traduzir a página no endereço http://www.kn34pc.com/construct/mickey_rtx_r_o_j.html pelo google chrome vocês podem ver os esquemas de circuitos independentes e ler tudo sobre o projeto, também pode ver outros esquemas de transceptores no endereço http://www.kn34pc.com/index_construct.html
Bem está ai todos os esquemas e PCB deste projeto e 
Esquema original.
Opção de amplificador de TX.
Opção de pré e amplificador áudio.
 
Abaixo ás PCB dos circuitos.

 
PCB PA.
Lado componentes PCB PA.
PCB áudio amplificador CI.
Lado dos componentes.
PCB S-Meter com led.
Lado dos componentes.
Led PCB indicação painel.
Circuitos do projeto separados.
Foto do projeto PCB acima.
Nosso desenho com relé em RX +12v, e novos transistores.
 
Mesmo esquema original porem com antena para TX.
Bem pessoal espero que gostem deste simples transceptor na faixa de 40 metros que poderá ser adaptado para outras faixas, o projeto é simples e bem explicado para quem gosta de montagens em TRX SSB e CW. Muito obrigado por acessar meu blog.
Waldir Cardoso.