BLOG LOCAL: ALAGOINHAS, BAHIA BRASIL.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Testando Transistores 2SC 1969 2SC 2166 MITSUBISHI

Pessoal achei uma página da Indonésia no blog Jopie CB em agosto de 2010 sobre este transistor 2SC 1969, http://jopie-rogger.blogspot.com.br/2010/08/perbedaan-2sc-1969-fakepalsu-dengan-2sc.html o blog dele é relacionado a transceptores CB e manutenção, muito bom, vale a pena visitar seu blog, parabéns amigo pela contribuição a nosso hobby Radioamadorístico.
Atualização acima em 11-12-2016.

Uma outra opção ao técnico ao comprar um dos transistores de RF, em especial os da Mitsubishi 2CS 1969, 2SC 2166, originais é testa-los na loja, antes de compra-los, vou mostrar como testar o verdadeiro. Com o meu velho multímetro analógico, mais outro multímetro poderá ser usado na loja. Como o 2SC 1969, é o mais usado em saída de RF de transceptores, e o mais popular podendo substituir outros e diversos de saída RF.
TESTANDO NA ESCALA DE X1 2SC 2166
Aqui eu estou testando COLETOR E EMISSOR  esse procedimento é feito geralmente na escala de X10K para identificar o COLETOR E EMISSOR desconhecido, e invertendo ás pontas na mesma escala, vemos a fuga de COLETOR E EMISSOR  descobrindo se o transistor está ruim. Vejam na foto que o multímetro na escala de X1 dá uma leitura quase a mesma que a leitura de base, isso porque os transistores originais da Mitsubishi tem uma junção como se fosse um "diodo" de COLETOR E EMISSOR, os falsos não tem esse "diodo" e essa leitura só é vista na escala mais sensível de X10K, dando 500K, 1M.  ATENÇÃO.  os multímetros analógico tem suas pontas de teste invertidas em relação ás pilhas quando estão nas escalas de resistências  do mesmo, a ponta vermelha é o negativo das  duas pilhas  3 volts, e a ponta preta é o positivo das pilhas 3 volts, só na escala de X10K é 12 volts, entra junto as de 3 volts uma  pilha de 9 volts, fazendo a escala muito sensível , já nos multímetros digitais não é assim, ás pontas não são invertidas, a ponta vermelha é o positivo da pilha de 9 volts, única nos modelos que conheço. 
Aqui está na escala de X10K, observem  foto abaixo que ás pontas de teste estão invertidas, no EMISSOR  está a ponta vermelha, e no COLETOR a ponta preta, dessa forma podemos saber se o transistor está queimado ou dando alguma fuga, a leitura tem que ser infinita, o ponteiro não poderá mexer em hipótese nenhuma, se isso acontecer segure o transistor sem tocar nos terminais, deixe os terminais tanto do transistor como as pontas de teste livres de seus dedos, já que você está segurando o transistor pelo COLETOR que é a parte metálica, se continuar dando alguma leitura o transistor está dando fuga de COLETOR para EMISSOR  está ruim. Se inverter as pontas nessa mesma escala claro vai da uma leitura de 0, o ponteiro vai bater com toda força no canto direito da escala.

TESTANDO NA ESCALA DE X1 2SC 1969
Os procedimentos são os mesmos do 2SC 2166, observe que tem a mesma leitura do 2SC 2166, é semelhante a leitura de um "diodo" isso eu só observei nos da marca Mitsubishi, os da NEC não me recordo se tem esse mesmo "diodo", sei que o 2SC 1307 da NEC original não tem, os da foto de transistores originais aqui no blog o 2SC 1306 NEC estão queimados por isso não me recordo.     
                                       
Aqui foto abaixo os mesmos procedimentos do 2SC 2166, vejam que a leitura na escala de X10K, é infinita não pode mexer o ponteiro, caso aconteça o ponteiro mexer, segure o transistor sem tocar nos terminais, e proceda o teste novamente, se mexer o ponteiro o transistor está ruim.
                                       
Bem  não sou professor, mais espero ter explicado como fazer o teste no balcão da loja antes de comprar o famoso 2SC 1969, que está cada vez mais caro e difícil. Mais uma solução já está ha muito tempo sendo usada são os MOSFETS que é muito mais barato até 70%, e substitui os transistores de saída de RF em PX e outros rádios HF, o mais conhecido é o IRF 520, muito melhor, barato, e fácil aquisição. O técnico poderá colocar em rádios como o 148 GTL, para isso basta alimentar o G gate do FET com uma pequena tensão, e eliminar outros componentes que foi ligado na base do transistor que agora e o gate do FET. Mais isso é para depois, Espero que gostem dessa minha dica.   Waldir Cardoso.

3 comentários:

  1. Waldir, amigo queria tanto esse esquema, dos mosfet irf520n, para cobra148 gtl taiwan modificação, Aqui no ceará, esse 1969, quando tem eles valem ouro,quando não, aprece falsificados, comprei, mas foi sói decepção.. aleluias!!kk
    abração!

    ResponderExcluir
  2. Amigo Moreira.
    Eu não fiz essa modificação, nem postei aqui no blog, tenho um amigo que fez e deu certo modulação e potencia de RF muito bom, não tem segredo, ele me passou que retirou o TR37, e colocou no lugar do emissor dele uma resistência de R180 alimentando o "G" do FET, é simples ele não me passou o esquema só conversamos, mais vou ver se consigo o esquema na mão dele e depois te passo via e-mail, mais na WEB tem bons esquemas veja algumas páginas: http://www.cbtricks.com/miscellaneous/fet_papers/mosfet_experiment.htm
    http://www.cbtricks.com/miscellaneous/fet_papers/
    http://www.cbtricks.com/miscellaneous/fet_papers/ekl/graphics/erf2030_148gtl_mod.pdf
    Se você tem experiência em TRX com essas informações você vai fazer tranquilo a modificação, não é difícil, tente que você consegue amigo. mande-me um e-mail entre uma semana que eu vou me certificar com o amigo como ele fez que é mais simples.
    Muito obrigado pelo comentário e um abraço.
    Waldir Cardoso.

    ResponderExcluir
  3. Ok, muito obrigado pela sua atenção, vou aguardar sim, seu email, com devido esqueminha.
    abração!

    ResponderExcluir